RESULTADOS

BOAS PRÁTICAS AGRONÓMICAS

Para realizar o teste de inoculação, foi produzido um inóculo com microrganismos benéficos, a aplicar em parte da cultura. O inóculo de Piriformospora indica foi produzido na FCUL, com a respetiva inoculação de plantas de Lycium chinense e Lycium barbarum, sintetizado na figura 1.

Piriformospora indica

imagem 2.png

Crescimento em meio de cultura líquido 28ºC, 160 RPM por 10 dias.

5ml inoculados em cada planta com ~30esporos.

Figura 1. Síntese da produção de Piriformospora indica e inoculação das plantas

A análise dos microrganismos benéficos e patogénicos existentes nas plantas e no solo, mostrou que existe uma tendência para um menor número de microrganismos patogénicos nas plantas inoculadas com Piriformospora indica, tanto em plantas de L. chinense como L barbarum. Nas plantas de L. chinense L. testaram-se três tratamentos com microrganismos: dois consórcios composto por bactérias comercialmente utilizadas como promotores do crescimento das plantas; e um tratamento com uma actinobactéria.

Consórcio R composto por Azospirillum e Pseudomonas putida

Consórcio A composto por Pseudomonas putida, Pseudomonas fluorescens e Bacillus megaterium

Aumento da biomassa foliar nas plantas inoculadas

Tratamento S composto por uma bactéria Streptomyces

Além dos resultados obtidos em relação à biomassa foliar, obtiveram-se melhores valores de parâmetros fisiológicos relacionados com o seu desempenho fotossintética. Conclui-se que as plantas de L barbarum tem menor taxa de crescimento do que as plantas de L chinensis (figura 2), mas que a inoculação das plantas com mistura de bactérias promotoras do crescimento vegetal favorece o crescimento das duas espécies.

2.jpg
4.jpg
1.jpg
3.jpg

Figura 2. Estacas de plantas de L barbarum (esq.) e L chinensis (dir.) desenvolvidas em câmara de clima, na FCUL, sem inóculo